..CINCO pessoas CONTRA UM mundo..

4/08/2007

feliz ano novo em plena páscoa

depois de pensar muito, o que mais ando fazendo desde 1962, resolvi re-movimentar meus amigos para voltyar com esta insanidade (5X1). a idéia pode parecer boa, mas não sei não. estou com um certo receio de enviar tal e-mail. mas não podemos desistir. já temos 490 visitas!
então:
feliz 2007 (em plena páscoa)

2/13/2007

Diferença

"O discurso ia no mais acrisolado da idéia regicida, quando uma escolta de verdeais lhe aguou a escandescência."
(Do livro "Amor de Perdição", de Camilo Castelo Branco, publicado em 1862)

Tradução contemporânea, mais ou menos:
O lôco tava falando inocente, meio puro, sabe?, mas como se tivesse a fim de matar um rei. Aí os porco chegaram e interromperam o discurso dele que tava pegando fogo.


Entendeu agora?

1/12/2007

nada

nada sei. daquilo que quero saber.
nao sei aquilo que queria saber.
nessa loucura de ser, aquilo que desejo ser.
a pergunta. a resposta.
nao sei a alternativa certa, apenas sei as erradas.
e se estou errado que mal tem?
nao sou nada de importante nesse mundo de desejos e de perguntas
sem respostas.
a certeza que tenho... deixa a vida acontecer...



amo muito viver.

Paulo Guzanes

1/02/2007

Gone

Adieu, so long....

Com o ano velho acabou muita coisa. A vontade, por exemplo. Depois de passar pela provação de mais um exemplo de falta de critérios e boa vontade e injustiça. Não há santo que agüente.

Ano novo. Venha rico. Riquinho. Bem colorido pra todo mundo. E doce quando precisa e salgado quando enjoar.

12/22/2006

Natal

Um inferno na terra
Noite feliz
Presentes
Ausentes
Amigo secreto
Inimigo declarado
Arvore de natal
Poste de luz
Cartão natalino
Cartão de crédito
Ceia
Janta
Champagne
Sidra de maçã
Reunião familiar
Briga em família
Panetone
Pão com chimia de uva
Papai Noel
Velho do saco
Os três reis magos
Os três reis magros
Menino Jesus
Menino Jesus da Silva
Espírito Natalino
Espírito de porco
Peru
Galeto
Uva passa
Passa a mão na uva
Natal
Carnaval

Um Feliz Natal para todos.
Paulo Guzañes

12/20/2006

Paranóias da vida


Quando subia ou descia escadas, sentia medo. Uma sensação estranha de que alguma força a empurraria para baixo. No banho, não fechava os olhos. Mesmo na hora de lavar o cabelo. Assim evitava qualquer possibilidade de, ao abrir os olhos, se deparar com algo estranho bem em sua frente. Sentia-se uma pessoa normal, apenas com alguns medos meio incomuns. Ao pegar o ônibus, abria todas as janelas. Assim, uma por uma mesmo. “Se alguém espirra aqui todos pegam a peste”, justificava. Não suportava ficar suada. Sentia como se fosse um líquido pecaminoso. “Cheiro de sexo”, dizia.

12/15/2006

Dia

Um dia. Um outro qualquer e um pouco cansado. Calor e suor. Um dia a mais e uma torrada para finalizar a noite. Suco de laranja com cenoura, sem açúcar. Uma viagem de duas horas e algo na bolsa. Bolsa grande. Bolsa jeans. E um focinho para fora.
Presentes para o Natal. Amigos comemorando aniversário. Mando Parabéns! E muita sorte nessa vida azarenta. Assuntos que vão e vem. Outras imagens. Na verdade, a vida é uma pequena parcela daquilo que somos. Se é que somos algo.
Viagens...




Paulo Guazañes